86 hospitais filantrópicos podem fechar as portas na Bahia

Escrito por em 20/05/2022

Metade das portas de entrada para o Sistema Único de Saúde (SUS) podem fechar em breve. Com isso, em toda a Bahia, 86 hospitais vão parar de atender. Cirurgias mais comuns, como de procedimentos ortopédicos, estarão 50% mais difíceis de serem acessadas. Já as mais complexas, como de ponte de safena, 70%. O levantamento é do Jornal da Metrópole.

As entidades são responsáveis por 70% dos atendimentos de alta complexidade que são disponibilizados aos usuários do SUS, além de mais da metade dos atendimentos de média complexidade, segundo a Confederação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos do Brasil (CMB).

Caso fossem encerrados, restariam apenas 30% de unidades de saúde para cuidar de pacientes com câncer, por exemplo, que são mais de 600 mil pessoas em todo o país, de acordo com a última atualização do Instituto Nacional de Câncer (Incra), feita em abril. Em algumas cidades do interior baiano, como Campo Formoso, Barra e Catu, ainda, a população ficaria sem qualquer hospital. Essa é a situação de 824 municípios em todo o Brasil, que contam unicamente com os hospitais filantrópicos para a assistência em saúde.

No entanto, o constante subfinanciamento do Sistema de Saúde às Santas Casas e entidades filantrópicas preocupa os gestores dos equipamentos.

Marcado como

Faixa Atual

Título

Artista

Background