Lúcio Vieira Lima: além dos olhos azuis de Roma e Wagner, não há diferença entre pré-candidatos ao governo

Escrito por em 25/10/2021

O ex-deputado federal e cacique do MDB baiano, Lúcio Vieira Lima, afirmou na manhã desta segunda-feira (25) em entrevista ao Grupo Lomes de Comunicação que “não há muita diferença” entre as pré-candidaturas ao governo da Bahia, do senador Jaques Wagner (PT), do ministro da Cidadania, João Roma (Republicanos), e do ex-prefeito de Salvador ACM Neto (UB). “Fora os olhos azuis de Roma e Wagner, nada de diferente”.

Lúcio voltou a criticar a pressão para que o MDB decida quem apoiará na disputa pelo Palácio de Ondina nas eleições do ano que vem. Segundo o ex-deputado, o partido só tomará uma oposição no “momento certo”.

“Eu digo que sou inconstrangível, e digo que o MDB não vai aceitar nenhum tipo de pressão para tomar a decisão. A gente não sabe oficialmente nem quem é candidato, então existe motivo para essa pressão. O MDB tem seu tempo. O MDB tem o tempo do MDB. Na hora certa decidiremos, sem pressão”, disse em entrevista ao Grupo Lomes de Comunicação.

Ainda durante a entrevista, o irmão do ex-ministro Geddel Vieira Lima revelou que não guarda mágoas de deputados como Pedro Tavares e Leur Lomanto Jr., que deixaram o MDB nas eloições de 2018 e migraram para o DEM, liderado pelo ex-prefeito de Salvador ACM Neto. “Talvez essa seja uma grande qualidade minha: não guardar mágoas. Se eles sairam é porque avalaram ser melhor naquele momento. Eles seguiram o caminho deles e o MDB o dele. Tudo certo”, acrescentou.

Marcado como

Faixa Atual

Título

Artista

Background