Mandetta defende “pacificação” para à construção de chapa contra Bolsonaro em 2022

Escrito por em 15/03/2021

Na visão do ex-deputado federal Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS), um político de centro capaz de derrotar o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), nas eleições de 2022 deverá ter projeto de país e capacidade de diálogo entre os polos. 

Em entrevista concedida ao programa Café das Seis, da Rádio Globo Salvador, na manhã desta segunda-feira (14), o ex-ministro da Saúde da gestão Bolsonaro, disse que esse político de centro ainda não tem nome e gênero definidos, mas precisará pensar e agir com base em um sentimento de pacificação nacional.

“Parece que o centro é uma pessoa sem opinião, o que não é verdade. O ponto é que o centro tem que saber dialogar, sem radicalismos. A construção disso passa por ideia e projetos, como o que falaremos de educação e de saúde”, afirmou Mandetta.

Ele, que concedeu uma entrevista à Rádio Globo, na manhã desta segunda-feira (15), enunciou um protótipo de como deveria agir um futuro representante do centro, mas evitou falar em nomes. “Os nomes devem ser secundários, o mais importante, agora, é o diálogo”, justificou.

Bolsonaro e Lula

Embora tenha negado falar em nomes para representar sua corrente política, Mandetta se prontificou a rechaçar uma eventual disputa eleitoral de 2022 com a polarização entre o ex-presidente Lula (PT)  e Bolsonaro.

“A maioria da população não quer optar entre extremos. Eles [Lula e Bolsonaro] fazem o mesmo tipo de política, que é aquela que busca a ocupação de poder”, definiu.

Para o ex-ministro da Saúde, caberia uma manifestação de autocrítica para que o mandatário do país e o ex-presidente entrassem em seu radar político.

“E nenhum dos dois foi capaz de fazer essa autocrítica e de pedir desculpas ao país, ao falar que errou e fez isso ou aquilo e que prejudicou as pessoas”, disse Mandetta.

Com informações do portal Muita Informação.

Marcado como

Faixa Atual

Título

Artista

Background
Digital 104.3 FM