Polícia Militar atribui ameaças de massacre em escolas a ‘fake news

Escrito por em 17/05/2022

Em mais um caso de ameaça em massacre em escolas de Salvador, a Polícia Militar atribuiu as incidências a uma onda de “fake news”. 

O tenente Adailton Pires, afirmou que a polícia está atenta as demandas e que a população precisa se atentar as notícias.

Para eles, a população não deve dar ouvidos e acreditar nisso o tempo todo. O tenente disse ainda que as reações de medo causam desequilíbrio no ambiente escolar.

Segundo ele, a Polícia Militar tem reforçado a atuação com as guarnições e a ronda escolar. A partir do momento que que alimentamos essa fake news, damos força para que continuem fazendo as ameaças”, afirmou.

Ontem, uma nova ameaça fez com que aulas fossem suspensas no Colégio Estadual Anfrisia Santiago, em Coutos.

Procurada pela nossa reportagem, a Secretaria Estadual de Educação lamentou o ocorrido e afirmou que acionou a ronda escolar. “É lamentável esse tipo de situação. A escola é lugar dedicado ao conhecimento e à formação dos cidadãos e não pode ser alvo desse tipo de boato que atrapalha a rotina dos estudantes e leva pânico à comunidade escolar.  É inadmissível que isso ocorra.  A Secretaria da Educação acionou a ronda escolar e recomenda que os colégios funcionem normalmente”.

Outras ocorrências

Além do Colégio Estadual Anfrisia Santiago, outras quatro ocorrências foram registradas  apenas em abril: entres elas, o Colégio Salesiano Dom Bosco, na Pituba; Colégio Duque de Caxias, na Liberdade; e o Centro Educacional Titânia, em Cajazeiras.

Marcado como

Faixa Atual

Título

Artista

Background