Presidente da OAB Feira de Santana fala sobre caso de advogado investigado por homicídio

Escrito por em 21/10/2021

O polêmico caso do advogado Luiz de Britto Meira júnior, investigado por matar a namorada Kezia Stefany da silva ribeiro, de 21 anos, teve um novo episódio nesta quinta-feira (21) por ser advogado, ele tem direito de ficar custodiado em uma cela especial, denominada sala de estado-maior. como a Bahia não dispõe desse tipo de locação, a defesa conseguiu prisão domiciliar na justiça, mas a polícia civil não acatou.

Nesta quinta-feira (21), o advogado foi transferido para o batalhão de choque da polícia militar, que fica em Lauro de Freitas, região metropolitana de salvador. a delegada Zaira Pimentel, que investiga o feminicídio, foi quem entrou com pedido na justiça para que o advogado cumprisse pena no batalhão de choque da polícia militar.

A solicitação da delegada se baseia no conceito de que sala de estado-maior corresponde a um local com “condições adequadas de higiene e segurança”, e não necessariamente uma cela.

A possibilidade de prisão domiciliar teve muitas reações sociais, devido a gravidade do crime e a prisão em flagrante. a defesa de uma prisão especial para o advogado é entendida por muitos como regalia e O Transnotícias convidou o presidente da ordem dos advogados de Feira de Santana, Raphael pitombo, para discutir melhor o assunto.

Marcado como

Faixa Atual

Título

Artista

Background