SSA aguarda Ministério para definir se grávidas podem combinar vacinas de Oxford e Pfizer

Escrito por em 29/06/2021

Salvador aguarda recomendação do Ministério da Saúde para aplicar nas gestantes que tomaram a vacina da AstraZeneca contra a Covid na primeira dose o imunizante da Pfizer na segunda aplicação. A informação foi divulgada pelo site Bahia Notícias.

A Prefeitura do Rio anunciou a medida nesta terça-feira (29) através do secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz. Ele fez uma publicação com a informação nas redes sociais.

“Seguindo a recomendação do nosso comitê: As gestantes que tomaram a primeira dose da vacina AstraZeneca poderão, mediante avaliação dos riscos e benefícios com seus médicos, realizar a segunda dose com a vacina da Pfizer 12 semanas após a primeira dose”, escreveu.

Em Salvador 21 grávidas se vacinaram com a dose da Oxford/Astrazeneca em 7 de maio, com a dose da Oxford/Astrazeneca, antes que o Ministério da Saúde suspendese a aplicação do imunizante para o grupo de pessoas grávidas após orientação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A Anvisa fez um alerta após o registro da morte de uma gestante de 35 anos, que pode ter ligação com o uso da vacina da AstraZeneca.

Dias depois o Ministério publicou uma recomendação para que as gestantes e puérperas que receberam a primeira dose da vacina Covid-19 da AstraZeneca/Oxford recebessem a segunda dose e completassem o esquema vacinal apenas após o fim da gestação e o período puerpério (até 45 dias pós-parto). Além disso, a pasta também definiu que a vacinação desse grupo deveria ser condicionada a prescrição médica após avaliação individualizada de risco benefício.

O Ministério informou que até o dia 10 de maio haviam sido vacinadas mais de 15 mil gestantes com o imunizante da Astrazeneca.

Marcado como

Faixa Atual

Título

Artista

Background